menu
Topo

Receitas

Tem dificuldade de escolher vinhos em um restaurante? Siga estas dicas

iStock
Imagem: iStock

Kate Krader

29/01/2018 10h37

Se houvesse uma votação para escolher a pessoa mais intimidadora em um restaurante, o sommelier provavelmente ganharia. As cartas de vinhos podem ser um território confuso e até mesmo assustador para os clientes, especialmente porque as bebidas alcoólicas sempre representam uma boa porcentagem da conta do restaurante. Você reconhece a maioria das garrafas em um cardápio de coquetéis; com os vinhos, a história é outra, e todos sabem que os selecionados invariavelmente custam pelo menos 200 por cento a mais.

Robert Bohr, do Delicious Hospitality Group, está aqui para ajudá-lo. Sócio e sommelier dos restaurantes Charlie Bird e Pasquale Jones, de Nova York, ele abrirá o esperado Legacy Records no começo de fevereiro em Hudson Yards, Manhattan. Bohr consultou as adegas de alguns dos maiores nomes de Wall Street e da indústria da música, através da sua empresa King Street Sommeliers (acordos de confidencialidade impedem que ele revele nomes). Bohr tem convicções fortes sobre a melhor maneira de interagir com especialistas em vinhos nos restaurantes e ele quer que você também saiba como agir.

A seguir, algumas coisas que você provavelmente está fazendo errado na hora de pedir um vinho.

Você não está tomando a decisão

Por favor, não pergunte: "O que você sugere?". Minha carta de vinhos é minha sugestão. Tenho 110 sugestões no Charlie Bird, escolhidas entre dezenas de milhares de vinhos. Mas, se você realmente quiser sugestões, estou aqui para ajudar. No entanto, se eu disser: "Você provavelmente gostaria de começar com um branco", esta é uma indicação forte. Se isso se transformar em uma longa conversa sobre um blogueiro que jura que o cabernet de Napa com ostras é uma ótima harmonização, teremos uma longa noite pela frente.

Você está gastando demais

Não há nada de errado em estipular um limite de preço. A melhor maneira de obter uma boa relação custo-benefício no vinho comigo é me desafiar. Diga: "Tenho US$ 100, qual o melhor vinho que eu e minha namorada podemos tomar hoje à noite?" Aí eu vou querer impressionar você, vou querer me exibir. Então talvez eu desenterre algo da minha adega para lhe dar o melhor vinho possível a esse preço.

Você não está fornecendo informações importantes

Situações diferentes pedem vinhos diferentes. Digamos que você esteve dez vezes em um lugar por negócios, mas desta vez é seu aniversário e você quer algo muito especial. Diga o que você espera do sommelier logo de saída. Se você está comemorando por ter fechado um acordo, avise-me. "Eu gosto destas três coisas em um vinho..." é um bom ponto de partida. Por exemplo, se você disser: "Nós só gostamos de vinho tinto, vamos comer quatro pratos e não tenho um limite para gastar", você me deu várias informações.

Às vezes, vamos ser francos, você está se exibindo

O contrário da regra n° 3 é dar informação demais ao sommelier. Não conte todos os excelentes vinhos que você tomou nos últimos seis meses. Ostentar é sempre desagradável e é especialmente desagradável em relação a vinhos, principalmente se para os seus convidados tanto faz. Além disso, seja honesto. Não escolha um vinho para impressionar alguém, muito menos o sommelier. Não diga que você quer um Brunello di Montalcino quando você realmente gostaria de um pinot de Oregon. Seria como se você fosse vegano e pedisse um hambúrguer Black Label em sua primeira refeição não vegetariana; você provavelmente não iria aguentar comer aquilo e com toda certeza não apreciaria de jeito nenhum.

Mais Receitas