Topo

Receitas

Produtores de cerveja da Europa se preparam para falta de cevada

iStock
Imagem: iStock

Manisha Jha, Lucca de Paoli e Isis Almeida

07/08/2018 14h49

Até mesmo a cerveja está sendo afetada pelo calor sufocante da Europa. As plantações de cevada do norte da Europa fritaram devido ao clima quente e seco, gerando possíveis problemas para as fabricantes de cerveja que precisam comprar malte. Os rendimentos dos principais produtores da Escandinávia, do norte da Alemanha e dos países bálticos podem ficar 30% a 40% abaixo do normal, segundo a trading Evergrain Germany.

Os preços da cevada já estão subindo e os custos precisarão ser repassados para a cadeia de abastecimento. Algumas fabricantes de cerveja alemãs começam a elevar os preços da cerveja, disse Stefan Vollmar, trader da GrainCom, com sede em Hamburgo.

"Temos um grande problema de oferta", disse Jonathan Arnold, diretor de cevada e aveia da trading britânica Robin Appel. "O malte não representa muito do custo de um copo de cerveja, mas coletivamente, se considerados muitos copos de cerveja, é um grande custo."

Na Escandinávia, o clima extremamente quente, que provocou incêndios florestais na Suécia, fez também com que as colheitas ocorressem três a quatro semanas antes do habitual. Devido ao clima que afetou as plantações, a União Europeia terá uma escassez 490.000 toneladas de cevada cervejeira de primavera nesta temporada, o primeiro déficit em oito anos, segundo a RMI Analytics, que assessora fabricantes de cerveja.

Os preços da cevada cervejeira francesa subiram mais de 35 por cento desde abril, atingindo o maior nível desde 2013, segundo dados da Commodity3. A Heineken, a segunda maior fabricante de cerveja do mundo, citou os custos maiores das commodities no segundo trimestre. Apesar de ter afirmado que a safra ruim da Europa não prejudicaria os resultados de 2018, a empresa preferiu não comentar o impacto futuro.

"Trata-se de um aumento significativo dos preços", disse Andries de Groen, diretor-gerente da Evergrain, uma unidade da alemã BayWa. "As fabricantes de cerveja acabarão tendo que absorver o aumento do preço da cevada" se não travaram os preços das compras futuras, disse.

A seca e o calor provocaram uma forte mudança no mercado. Há menos de dois meses, Arnold, da Robin Appel, projetava um excedente de mais de um milhão de toneladas de cevada cervejeira europeia, mas agora o mercado provavelmente terá um déficit. O clima quente também está diminuindo a qualidade da cevada, o que significa que provavelmente haverá um excedente de grãos que só poderá ser utilizado para ração animal.

As fabricantes de malte de cevada terão que gastar mais comprando grãos de alta qualidade ou mudar os processos de formulação, segundo a RMI. Ainda assim, é pouco provável que os consumidores de cerveja paguem mais caro porque a cevada representa uma minúscula fração do custo total da bebida.

A produção de cevada de primavera da UE pode ficar 10% abaixo da média de cinco anos, disse De Groen. A produção ruim no norte da Europa pode ser compensada pela França, que teve uma excelente colheita e pode ser capaz de garantir o abastecimento, disse.

"Quanto mais ao norte, mais difícil fica", disse Vollmar. "Não dá para ter certeza a respeito do resultado final da safra, que acabamos de começar a colher. Mas nossa expectativa é que o volume será muito baixo e que haverá alguns problemas de qualidade."

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Receitas