Receitas de Bebidas

Conheça o mercado de trabalho e os cursos disponíveis na área de cervejas

Stock.Xchng
Cenário crescente: profissional especializado pode atuar em cervejarias (foto) e casas especializadas Imagem: Stock.Xchng

Leticia Rocha

do UOL, São Paulo

17/10/2012 13h49

A cerveja, pelos quatro cantos do globo, vive dias efervescentes. Renovação de antigas empresas, indústria artesanal em franca ebulição e prateleiras fartas de oferta de rótulos da bebida, em seus diferentes estilos e tipos. Com esse cenário, mais do que positivo, é natural que o mercado de trabalho também esteja aquecido.

A indústria precisa de mestres cervejeiros para formular seus produtos, selecionar matéria-prima e coordenar o passo a passo na fabricação de suas cervejas e chopes. Já os restaurantes, empórios e casas especializadas querem a presença de beer sommeliers, o profissionais aptos a criarem cartas de cerveja, fazerem o atendimento ao cliente e sugestões de harmonização além de servirem corretamente a bebida.  

Dada a necessidade de mão-de-obra especializada, a oferta de cursos no Brasil começa a crescer. Em 2008, o Centro Universitário Senac, em São Paulo, identificou que seria importante buscar uma instituição referência na área e fechou uma parceria com a Doemens Academy, escola alemã com sede em Munique, fundada em 1895 e pioneira na formação de profissionais da área. “Em 2004, a Doemens criou o primeiro curso de Sommelier de Cervejas do mundo e, a partir de 2010, passou a ofertá-lo no Brasil em parceria com o Senac”, explica Juliana Reis, coordenadora de desenvolvimento da área de Bebidas e Serviços de Bares e Restaurantes do Senac São Paulo.

O curso, no Brasil, tem os mesmos moldes do realizado na Alemanha e concede ao participante a certificação das duas instituições. Cultura, história, gestão, serviço e ética no consumo e venda da bebida estão na grade curricular. “Criamos também um material didático dirigido ao mercado brasileiro e ajudamos no networking e no contato com escolas cervejeiras”, complementa Juliana. Já a ABS-SP, a Associação Brasileira de Sommeliers- São Paulo, também em 2010, abriu uma exceção e inclui a cerveja na grade de cursos, até então só dedicada ao mundo do vinho. Nesta turma, o reflexo de um segmento em ascensão, dividiam as salas de aula profissionais já ligados a cervejarias. importadores, proprietários e funcionários de bares e restaurantes e curiosos.

Na sala de aula

  • Acervo Pessoal

    Aula prática: o sommelier Renê Aduan Jr. durante curso na Alemanha

Quem passou por estes dois curso foi Renê Aduan Jr., proprietário da Alma Rústica Gastronomia, de São Paulo. Hoje, atua como sommelier de cervejas, mas já foi ilustrador, editor e empresário da área gráfica. A ida para o mercado de bebidas surgiu quando formou-se em Gastronomia, em 2002. De lá para cá, Renê só vê com bons olhos este segmento. “O país é um enorme mercado em potencial. Estamos experimentando a primeira década do boom no setor de alimentos e bebidas”, declara ele. “Atualmente, a cerveja é a bola da vez e procura-se muito cursos especializados. É sempre bom reciclar conhecimento”, completa o sommelier. Tanto é que ele não para: está em Berlim, na Alemanha, para um curso de duas semanas de especialização técnica em microcervejaria, na VLB- Versuchs- und Lehranstalt für Brauerei, consagrada instituição no mundo cervejeiro. “É um curso que não existe no Brasil e foca diretamente o operacional de ‘brewpubs’, o segmento de produção e serviços que vem crescendo no Brasil”, explica ele. Por lá, ele ainda planeja fazer um curso de microbiologia aplicado à cerveja.

Mas, como tudo que é novo, nem sempre é fácil arriscar-se. É o que pensa o consultor de seguros de vida Paulo Rálio Neto, de São Paulo (SP), foi aluno desta primeira turma do curso da ABS-SP. Curioso e estudioso da área, diz que por hora, mesmo com mercado em potencial, não é tão fácil abrir mão de uma carreira consolidada. “Prefiro continuar apenas como um prazeroso e custoso hobby. Trata-se de uma área de trabalho ainda restrita em qualquer ponto: importação, distribuição ou mesmo na atuação como sommelier. Mas não deixo de ler e me atualizar no assunto”, comenta Rálio. “Fiz um curso de produção caseira de cervejas e meu sonho, agora, é produzir a minha”, declara ele.

Cerveja no universo acadêmico
Com tal crescimento, o tema cervejas vai ganhando espaço no meio acadêmico. Na Anhembi Morumbi, em São Paulo, a bebida entrou para a disciplina de Enologia e Harmonização, do curso de Gastronomia, antes só dedicada ao vinho. Segundo uma das docentes do curso, Susana Jhun, a missão é treinar estudantes e transmitir a cultura desta bebida aos profissionais do futuro. O mesmo acontece no Senac São Paulo, nos cursos de formação e pós-graduação em Gastronomia e também nos de Hotelaria. Ainda há cursos em módulos, em duas opções: Básico em Cervejas, com 18 horas de duração; e o Harmonização Gastronômica com Cervejas Especiais, 30 horas. Já a Universidade Estácio de Sá, também na capital paulista, oferece um curso livre, com duração de um mês.

Serviço
Anhembi Morumbi: www.anhembi.br
ABS-SP Associação Brasileira de Sommeliers- São Paulo: www.abs-sp.com.br
Estácio de Sá: www.estacio.br
Senac São Paulo: www.sp.senac.br
VLB: www.vlb-berlin.org

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Receitas de Bebidas

Topo