Receitas

Adeptos da cerveja feita em casa criam até equipamentos para incrementar a produção

Júlia Santos
O kit básico de homebrewing inclui panela, fermentador, termômetro, densímetro e fechador de garrafas Imagem: Júlia Santos

Júlia Santos

do UOL, São Paulo

27/11/2012 12h34

Há três anos, o arquiteto Frederico Ming, 37, estava consertando o teto de um vagão de trem em Berlim quando um conhecido lhe pediu para colher as flores que cresciam ali. Mal sabia ele que se tratava do lúpulo, insumo que o colega alemão usaria para fazer a própria cerveja. Interessado pelo hobby, Ming voltou ao Brasil, pesquisou mais sobre o assunto e produziu alguns litros de cerveja de trigo em panelas adaptadas. Naquele dia ele se tornou um cervejeiro caseiro.  

Também chamada de 'homebrewing', a atividade já é bem difundida em países como Estados Unidos e está ganhando cada vez mais adeptos por aqui. Já existem escolas especializadas em ensinar a fabricação de cerveja, concursos para julgar as bebidas caseiras e associações que reúnem os interessados. Ming, por exemplo, é hoje o mais recente campeão do Concurso Paulista de Cervejeiros Caseiros, com a melhor receita de Oatmeal Stout, estilo Ale escura que leva aveia. Como prêmio, produziu 500 litros da bebida que foram servidos na Cervejaria Nacional, em São Paulo.

 

  • Júlia Santos

    Essencial, panela de brassagem tem capacidade de mais de 20 litros acomoda malte e água no fogão

Não é preciso muito espaço em casa nem conhecimento técnico prévio para investir na cerveja própria. Cervejeiros caseiros são pessoas comuns, mas que não se contentam apenas em degustar ou harmonizar: querem fazer eles mesmos bons exemplares da bebida. Assim aconteceu com o diretor de arte Marcelo Paton, 42, que produz cerveja há oito meses. "Já comprava rótulos importados e artesanais para beber e fui fazer o curso de fabricação caseira. Gostei tanto que comprei o equipamento nos dias seguintes", conta ele, que faz levas de 23 litros dos estilos Porter, IPA e Tripel em seu sítio. Para suas criações ele tem a ajuda da mulher, que aproveita o bagaço do malte para receitas de pão, e do filho de 15 anos, que desenha os rótulos da cerveja familiar apelidada de Caramujo.

Como identificar um cervejeiro?
Homebrewers passam horas em volta do fogão comandando panelas de 30 litros ou mais, ocupam a geladeira de casa com baldes de fermentação e são frequentemente avistados em grupos para a troca de garrafas e experiências. Segundo o revisor de textos Tegnus Lamas, 30, os encontros de cervejeiros lhe renderam novas amizades e dicas para a produção. Agora, ele e os colegas estão organizando mensalmente o 'Churrasbeer', evento de cerveja com picanha na brasa e malte na panela.

Lamas começou com o hobby há somente quatro meses, montou parte do equipamento por conta própria e já lançou até página no Facebook para a sua cerveja, a Mosh Beer. O design do rótulo, aliás, foi escolhido por meio de concurso na rede social. O plano dele é abrir uma pequena fábrica em cerca de cinco anos. "Até lá tenho tempo para aprender mais", acredita. Enquanto a brincadeira não vira negócio, família e amigos são os consumidores mais importantes, que disputam as garrafas feitas na lavanderia do apartamento. "Não faço nenhuma receita muito amarga por enquanto até o pessoal se acostumar com estilos diferentes", explica ele.

Equipamento cresce junto com o hobby  
O kit básico do cervejeiro conta com uma panela, um balde e pequenos acessórios, mas dificilmente um entusiasta para por aí. Assim como um maratonista compra um tênis novo, o cervejeiro investe em acessórios, melhorias e cria seus equipamentos.

  • Arquivo Pessoal

    Frederico Ming e Marcelo Holl Cury com sua malteadora adaptada

Frederico Ming é outro bom exemplo disso. Ele fez suas três panelas de 50 litros com barris de chope reaproveitados e possui um equipamento com capacidade de 400 litros guardado na casa de um amigo, como parte dos planos de profissionalização de sua grife cervejeira Capitu. Foi seu parceiro, o cervejeiro Marcelo Holl Cury, o 'Professor Pardal' da dupla, o responsável pela transformação de uma máquina de lavar roupas em malteadora, para transformar em casa os grãos de cevada em malte para a cerveja.

Assim, a Oatmeal Stout vencedora recebeu, também, maltes caseiros em sua produção, processo aperfeiçoado a partir dos ensinamentos que Ming recebeu do alemão em Berlim. "No começo eu nem sabia que já vendia pronto. Eu germinava a cevada dentro da gaveta de fruta da geladeira e secava em cima de um pano esticado no capô do carro do vizinho", diz ele, atualmente responsável por mais de 20 receitas de cerveja.

 

Onde aprender

São Paulo:
Cervejaria Escola Sinnatrah

Rio de Janeiro:
Confraria do Marquês

Paraná:
Cervejaria Escola Bodebrown

Minas Gerais:
Cervejaria Escola Taberna do Vale

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Receitas

Topo