Receitas

Mais aconchegantes, "jantares secretos" viram tendência em São Paulo

Roberta Malta

Do UOL, em São Paulo

26/08/2014 22h24

“Não quero mais ter restaurante. Ainda mais agora que tive bebê, é muito trabalho!” A frase é de Bel Coelho, mãe de Francisco, de 4 meses, e aponta uma tendência que está começando a pegar em São Paulo.

Nos últimos tempos, a ideia de receber pequenos grupos, em espaços diferentes e, assim oferecer programas exclusivos a clientes interessados em boa comida, pouca badalação, em datas informadas pelas redes sociais, só tem crescido.

No Clandestino, que já funcionou no segundo andar de seu extinto restaurante Dui, em São Paulo, e que hoje ocupa uma garagem no bairro da Vila Madalena, a chef recebe, uma vez por mês, 22 comensais que pagam o jantar antecipadamente e se entregam a uma noite cheia de surpresas.

“Não tem a sofisticação que havia no restaurante, mas é superconfortável e aconchegante”, diz Bel. O menu de seis ou mais etapas é todo inspirado nas viagens que a chef fez por 20 estados brasileiros, enquanto gravava o programa de comida brasileira "Assiette Brésilienne" (do francês, prato brasileiro) exibido antes do mundial de futebol, na TV franco-alemão ARTE -- no Brasil, a atração irá ao ar em 2015, pelo canal a cabo TLC.

As refeições, segundo ela, apenas se pagam, mas valem todo o esforço investido. “Além de ser um exercício e de me manter em contato direto com o público, é puro prazer”, afirma.

Gustavo Rigueiral, do catering Chef à Porter, também aderiu ao formato. Abismado com os custos para abrir um restaurante comercial, decidiu receber dez pessoas por noite, em uma mesa comunitária, em sua própria casa, também em São Paulo.

O menu que traz memórias de sua infância tem agradado aos comensais que conseguem uma vaga em sua sala de jantar, em datas informadas com antecedência pelas redes sociais.

A responsável pelo serviço do salão (ou salinha) é Larissa Januário, mulher do chef e autora do blog Sem Medida. “Nossa vontade sempre foi de cozinhar e receber gente” diz a blogueira. “Nosso grande prazer é alimentar.”

“A ideia é receber as pessoas de uma maneira calorosa, íntima, amistosa”, diz o chef. “Tanto que isso se reflete no serviço.” Ali, cada um pode botar a música que bem entender, como se estivesse mesmo em casa ou em um ambiente de puro aconchego.

“Acho que esse tipo de estabelecimento é o futuro”, diz Fernando Lucas Prudente Martins, conhecido "foodie" (pessoas que são apaixonadas por comida) carioca,  frequentador assíduo de restaurantes no Brasil e no mundo, ao lado de sua mulher, Cíntia. “A gente se sente muito tranquilo e à vontade em lugares assim.”

Lágrimas e florais de Bach

Com formato parecido, mas atitude mais radical, Gabriel Vidolin recebe em seu O Leão Vermelho, em João da Boa Vista, a cerca de 220 quilômetros da capital paulistana, quatro pessoas por noite, durante seis meses do ano. Os 24 pratos servidos são degustados em três salas diferentes. Em todas a bebida alcoólica é proibida e os celulares ficam guardados em uma caixa na entrada da casa. “Mais do que uma refeição, pretendo oferecer uma experiência”, diz o chef. E consegue.

O jantar tem momentos de alegria e tristeza desmedidas – muitos convidados já se levantaram da mesa para dançar e, em outras ocasiões, choraram copiosamente – causados pela música combinada com a comida e os florais de Bach presentes nas receitas. Por esses motivos, uma das exigências de Gabriel é que as pessoas que dividirão a mesa tenham intimidade entre si.

Com um formato mais amplo, mas ainda bem exclusivo, Raphael Despirite, do paulistano Marcel, promove os eventos que chama de “Fechado para Jantar”. Para montar o roteiro, o chef escolhe um ponto inusitado da cidade, transforma o ambiente com cenografia própria e serve comida com um estilo totalmente despojado, harmonizado com música ao vivo. “Distribuímos no local adegas e geladeiras para cada um pegar sua bebida.”

A diferença entre esse tipo de evento e um serviço de catering? “Ocupamos qualquer espaço. Pode ser um museu, uma livraria, um teatro desocupado, o último andar de um prédio abandonado.” Transformar isso em sonho é por conta deles. “Não fazemos jantares, contamos histórias”, diz Raphael. Para usufruir, é só ficar ligado nas redes sociais e se entregar.

Fique de olho

Jantar Secreto - o próximo evento acontecerá na segunda semana de setembro. Informações e reservas através do e-mail jantares.secretos@gmail.com. R$ 90 por pessoa sem bebidas.

Fechado para jantar - o próximo evento acontecerá entre o fim de setembro e o começo de outubro. Informações e reservas através do e-mail contato@fechadoparajantar.com.br. De R$ 170 a R$ 200 com cerveja, vinho, drinques e água.

Clandestino - os próximos eventos já têm data: 11/10; 15/11; 13/12. Informações e reservas através do e-mail fabiomoreira@fabiomoreira.com ou pelo telefone 0/xx/11/ 96055-7700

O Leão Vermelho - a nova temporada começa na segunda semana de novembro. Informações e reservas através do e-mail contato@oleaovermelho.com. R$ 365 com harmonização de águas aromatizadas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Receitas

Topo