Receitas

D.O.M., de Alex Atala, é o terceiro melhor restaurante da América Latina

Divulgação
Chefs premiados no 50 Best América Latina posam para foto em Lima (Peru) Imagem: Divulgação

Luciana Bianchi e Anna Fagundes

Do UOL, em Lima (Peru) e em São Paulo

03/09/2014 23h47Atualizada em 12/02/2016 20h04

A segunda edição da versão latino-americana do "50 Best" foi revelada nesta quarta-feira (3) em Lima, no Peru. Organizada pelos editores da revista inglesa "Restaurant", a lista é decidida por 250 formadores de opinião da gastronomia da América Latina – jornalistas, chefs, profissionais e gourmets que viajam frequentemente visitando restaurantes.

Pelo segundo ano, o vencedor do prêmio de melhor restaurante da América Latina, foi um restaurante peruano, o Central, comandado pelo chef Virgilio Martinez. "Este prêmio é o resultado de muito sacrifício, horas de trabalho e o esforço de muita gente. è uma celebração de toda a América Latina e não só nossa", disse, ao saber do resultado. A casa ficou em 15º lugar na lista mundial do "50 Best", anunciada em abril em uma cerimônia em Londres (Inglaterra).

Mais uma vez, os brasileiros compareceram em grande peso este ano, com nove restaurantes na lista final: os paulistanos D.O.M.  3º lugar), Maní (4º lugar), Mocotó (12º lugar), Epice (36º lugar), Attimo (38º lugar) e  Fasano (44º lugar), os cariocas Roberta Sudbrack (13º. lugar) e Olympe (35º lugar) e o paraense Remanso do Bosque (34o lugar). "Estamos muito honrados e felizes. Sabemos que ainda temos muito a aprender e crescer, mas o prêmio nos motiva a trabahar ainda mais", comemorou Alberto Landgraf, chef do paulistano Epice.

O prêmio de restaurante de maior potencial da América Latina foi para o restaurante Ambrosia (Chile),  comandado pela chef Carolina Bazán. Já o novo prêmio de melhor confeiteiro do continente, patrocinado pela marca de chocolates Cacao Barry, foi para o chef argentino Osvaldo Gross.

O Chef dos Chefs -escolhido pelos 50 cozinheiros que participam da lista- neste ano foi o peruano Gastón Acúrio, conhecido por seu trabalho no Astrid y Gastón e La Mar e também pela criação da feira Mistura. 

Como funciona
A academia conta este ano com quatro regiões, uma a mais que no ano passado: México e América Central (incluindo o Caribe), Brasil, América do Sul (norte) e América do Sul (sul). Cada região conta com 63 membros votantes, escolhidos pelo diretor de sua academia. A cada ano, 30% do grupo de cada região deve ser renovado. 

A votação tem algumas regras a serem seguidas pelo corpo de eleitores, que deve manter segredo sobre seus escolhidos e não pode se revelada ao público. Cada pessoa pode votar em sete restaurantes, sendo que pelo menos três casas não poderão estar dentro de sua região (no caso de um votante do Brasil, por exemplo, este poderá votar no máximo para quatro restaurantes brasileiros).

O votante também não pode ter envolvimento de trabalho ou financeiro com o restaurante que escolher, e só poderá votar em casas que tenha visitado nos últimos 18 meses, tendo que indicar a data da sua última visita.

Força peruana
O fato da premiação ser sediada em Lima reflete o apoio do PromPeru, órgão do governo peruano responsável pelo turismo e exportação que reconhece a importância da gastronomia na cultura de seu país. A data do evento coincide com o início do festival Mistura, o que tornou possível a vinda de muitos jornalistas e chefs que participam do festival.

Lima está vivendo duas semanas de atividades gastronômicas intensas. Entre os inúmeros eventos, os irmãos Roca, do restaurante El Celler de Can Roca, que estão finalizando a sua turnê mundial, ofereceram jantares e aulas magistrais. O restaurante Astrid y Gastón, agora com Diego Muñoz como único chef, também organizou duas festas de confraternização.

No evento de premiação, a comitiva brasileira de chefs contou com a presença da maioria dos premiados. O Brasil abriu a noite já sabendo que Alex Atala, do restaurante D.O.M. seria agraciado com um prêmio pelo conjunto de sua obra. O chef, que atualmente ocupa a sétima colocação na lista mundial do "50 Best", recebeu o prêmio sob aplausos entusiasmados do público.

O México também iniciou a noite em ritmo de festa, pois a chef Elena Reygadas, do restaurante Rosetta, no México, foi eleita pela Veuve Clicquot como a melhor chef mulher da América Latina, prêmio concedido à Helena Rizzo, do Maní, na primeira edição da lista, em 2013.

Veja abaixo a lista completa da Latin America’s 50 Best Restaurants 2014:

1.  Central (Lima, Peru), também eleito o melhor restaurante do Peru

2. Astrid y Gastón (Lima, Peru)

3. D.O.M. (São Paulo, Brasil; também eleito o melhor restaurante do Brasil)

4. Maní (São Paulo, Brasil) 

5. Boragó (Santiago, Chile), também eleito melhor restaurante do Chile

6. Pujol (Cidade do México, México; também eleito o melhor restaurante do México

7. Maido (Lima, Peru)

8. Biko (Cidade do México, México)

9. Tegui (Buenos Aires, Argentina; também eleito o melhor restaurante da Argentina)

10. Quintonil (Cidade do México, México)

11. Malabar (Lima, Peru)

12. Mocotó (São Paulo, Brasil)

13. Roberta Sudback (Rio de Janeiro, Brasil)

14. Aramburu (Buenos Aires, Argentina)

15. La Mar (Lima, Peru)

16. Tarquino (Buenos Aires, Argentina; melhor nova estreia na lista)

17. Parador La Huella (José Ignacio, Uruguai; também eleito o melhor restaurante do Uruguai)

18. El Baqueano (Buenos Aires, Argentina; restaurante que mais subiu na lista - 21 posições em relação a 2013)

19. Pangea (Monterey, México)

20. Fiesta (Lima, Peru)

21. Chila (Buenos Aires, Argentina)

22. La Cabrera (Buenos Aires, Argentina)

23. Tomo 1 (Buenos Aires, Argentina)

24. Sud 777 (Cidade do México, México)

25. Manzanilla (Ensenada, México)

26. Merotoro (Cidade do México, México)

27. Rafael (Lima, Peru)

28. Alto (Caracas, Venezuela; também eleito o melhor restaurante da Venezuela)

29. Oviedo (Buenos Aires, Argentina)

30. Osaka (Santiago, Chile)

31. La Picanteria (Lima, Peru)

32. Gustu (La Paz, Bolívia), também premiado como o melhor restaurante da Bolívia

33. Rosetta (Cidade do México, México)

34. Remanso do Bosque (Belém do Pará, Brasil)

35. Olympe (Rio de Janeiro, Brasi)

36. Épice (São Paulo, Brasil)

37. Ambrosia (Sanitiago, Chile), também premiado como o restaurante de maior potencial da América Latina

38. Attimo (São Paulo, Brasil)

39. Criterión (Bogotá, Colômbia), também premiado como o melhor restaurante da Colômbia

40. Francis Malmann 1884 (Mendoza, Argentina)

41. Amaranta (Toluca, México)

42. Corazón de Tierra (Guadalupe, México)

43. Harry Sasson (Bogotá, Colômbia)

44. Fasano (São Paulo, Brasil) 

45. La Bourgogne (Punta del Este, Uruguai) 

46. El Cielo (Bogotá, Colômbia)

47. Sucre (Buenos Aires, Argentina)

48. Elena (Buenos Aires, Argentina)

49. Leo Cocina y Cava (Bogotá, Colômbia)

50. Pura Tierra (Buenos Aires, Argentina)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Receitas

Topo