Receitas

Saudável e econômica, marmita volta à cena mais chique do que nunca

Celina Cardoso

Do UOL, em São Paulo

Antes vista com um certo preconceito, a marmita vem ganhando espaço na mesa de trabalhadores descolados. Preparada em casa ou comprada em serviços de entrega que se dedicam a refeições balanceadas, ela tem se mostrado uma aliada da economia e da saúde.

Para André Boccato, autor do livro “Marmita Chic e Saudável” (ed. Senac), levar a própria refeição para o trabalho é sinal de inteligência. “É absolutamente comum e está na moda. Você controla sua dieta, a comida tem procedência garantida e economiza tempo e muito dinheiro”, diz.

“Ela é prática e oferece uma vida saudável. Um dos pontos mais legais dela é o porcionamento”, explica Priscilla Caldas de Mesquita, nutricionista da All Light, delivery especializado em marmitas saudáveis.

Na hora de montar a refeição, André avalia que o mais importante é manter o equilíbrio. É preciso lembrar também que eles serão esquentados novamente. “Acrescente alimentos que possam ser bem reaquecidos e não tenham cheiro muito forte”, afirma ele. 

Segundo Priscilla, peixes como pescada e salmão são boas opções para a marmita porque não apresentam alteração de sabor quando requentados. Ela ensina que alimentos como aspargos, batata doce, espinafre e preparações secas também são boas escolhas. “Filé de frango, arroz integral ou batata doce e um salteado de vagem formam uma ótima marmita”, indica.

Outra dica valiosa é acomodar os alimentos separadamente. “É importante não socar, não misturar a comida. Armazene tudo ordenadamente. Na hora de comer, monte o prato de uma maneira bonita”, indica André.

A refrigeração também é importante. “A maior preocupação é deixar o recipiente sempre refrigerado para a refeição não estragar. Usar uma bolsa térmica e colocar a marmita na geladeira assim que possível é muito recomendável”, avisa Priscilla.

Melhor evitar
Alimentos como feijão, brócolis, couve-flor e repolho podem causar mau cheiro, por isso evite. Ovo frito também não fica bem na marmita, por outro motivo. “Quando reaquecido, ovo pode sofrer alterações ruins. Omelete tudo bem, principalmente se for feita apenas com as claras. Mas deve ser feita no dia de consumo”, alerta André.

Na hora de escolher o recipiente, André e Priscilla concordam que vidro é muito melhor. “O plástico libera muitas substâncias tóxicas quando aquecido”, alerta Priscilla.

A marmita suscita tendências que devem chegar ao Brasil em breve, como o bentô japonês, marmita que acomoda a comida de forma decorada. “É a marmitinha chique dos japoneses. Esse estilo e design já tem até loja no Brasil. E logo vai mudar o nome para “Lunch Box”. E isso é natural. Eu sou do tempo que quem fazia bolos era chamada de boleira, mas hoje chamam de “cake designer””, diz André.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo