Receitas

Aprenda mais sobre o rum, a "bebida de pirata" que conquistou o mundo

Fernanda Meneguetti

Do UOL, em São Paulo

07/11/2014 07h00

Há coisa de dois anos, um drinque estourou nas coqueteleiras do mundo todo: o mojito. Limão, açúcar, hortelã, água com gás ou club soda e, temperando tudo, o rum. Pronto: o destilado foi redescoberto e, por isso, merecia nova roupagem. Pretexto perfeito para as marcas introduzirem versões premium da bebida.

Com cores atraentes (de palha clara a mogno escuro, passando por tons de dourado) e aromas complexos da cana-de-açúcar (de baunilha a chocolate passando por banana, caramelo, castanhas e especiarias), a “bebida de pirata”, criada no Caribe no século 17, superou um ranço histórico – narizes que se torciam numa comparação com a cachaça e que consideravam o rum um destilado menor se renderam a rótulos e coquetéis inspirados.

“Na verdade, o rum nunca saiu de moda, mas coquetéis como o mojito deixaram a bebida em evidência”, diz Murilo Marques, embaixador da Diageo, multinacional de bebidas que trouxe o guatemalteco Zacapa para o Brasil. “Ele é um rum super premium, feito a mais de 2300 metros de altitude com mel virgem de cana envelhecido em barris especiais, como do vinho doce espanhol Pedro Ximénez. Ele torna qualquer drinque à base de rum mais saboroso e elegante”, explica ele.

A marca, com os rótulos 23 e XO, no entanto, não chegou sozinha às prateleiras brasileiras. O jamaicano Appleton Estate V/X, o venezuelano Botucal e o cubano Seleccion de Maestros, por exemplo, se somaram recentemente a ela. Havana Club e Bacardi já marcavam presença no mercado com runs envelhecidos e especiais.

Intensas, essas bebidas, especialmente as mais adocicadas como o Botucal, podem substituir bourbon ou conhaque em coquetéis como o Manhattan, o Old Fashioned ou o Sidecar. Num mesmo rol, todos eles hoje protagonizam drinques de sucesso nas melhores coqueteleiras da cidade. Agora não há desculpa para não conhecer - e não se encantar - pelo destilado.

Conheça os tipos de rum

  • Branco

    Também chamado rum prata, é filtrado até perder a cor. Tem doçura suave e é indicado para a coquetelaria.

  • Dourado

    Tem cor âmbar e sabor mais amadeirado, com notas sutis de baunilha e castanhas. Pode substituir o branco em drinques.

  • Escuro

    De cor mais intensa do que o dourado por envelhecer em barris mais robustos. Tem notas de caramelo e vai bem em receitas de sobremesa.

  • Spiced

    Feito no Caribe, leva especiarias, comumente pimenta e canela. Pode ser feito com rum dourado ou com branco.

  • Saborizado

    A bebida é infusionada com frutas e menos alcoolica (menos de 40%)

  • Premium

    A versão luxuosa do rum é envelhecida com cuidado para ser degustada pura, com ou sem gelo. Passa mais tempo em madeiras de boa qualidade, onde ganha notas de chocolate, café e tabaco. Pode substituir uísques em alguns coquetéis

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Receitas

Topo