Receitas

Conheça os vinhos mais indicados para o jantar de fim de ano

Roberta Malta

do UOL, em São Paulo

26/12/2014 13h01

As mesas de fim de ano são tão fartas, que fica difícil escolher vinhos que combinem com todos os pratos.

Para facilitar a sua vida, o UOL Comidas e Bebidas conversou com o especialista Cesar Adames, professor de bebidas no curso de Cozinheiro Chefe Internacional do Senac SP, e indica os vinhos ideais para acompanhar os clássicos das festas de dezembro.

“Como cada um tem a própria receita, é complicado cravar qual a bebida perfeita”, diz Adames. “Mas dá para seguir um caminho pensando nos preparos tradicionais.” Em suas aulas, ele ensina que arriscar é experiência das mais importantes para quem quer entrar no mundo de Baco. “Mas essa é uma festa de família. Melhor não inventar muito”, diz.

Quem não quiser comprar todos os tipos sugeridos, não precisa. “Sirva um merlot chileno com os salgados e um espumante nacional demi-sec [essa informação vem escrita no rótulo], na hora da sobremesa”, afirma o especialista.

Veja a seguir o que escolher para não errar e como explicar à tia que tinto com peru é, sim, uma boa ideia.  

Brinde sem errar

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Chester

    Esta é uma carne mais delicada e costuma levar menos tempero do que o peru. Um branco mais potente, aqui, vai bem. A sugestão é um vinho da uva chardonnay, chileno ou argentino, que tenha passado por madeira. Para descobrir esse detalhe, leia o rótulo ou procure o responsável pela adega do mercado. Muitas redes já têm esse serviço.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Tender

    Se não tiver cravos espetados, dificilmente terá cara de festa. A dica é apostar em um cabernet sauvignon chileno. Fica ótimo com especiarias e carnes de sabor forte.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Bacalhau

    Paulistano acha estranho, mas carioca adora. Por conta da colonização portuguesa, outros estados, como Pernambuco, têm também o peixe curado à mesa do dia 24. A escolha aqui é fácil. A regra de combinar o país onde o vinho foi produzido com a origem do prato (quase) sempre dá certo. Como não é tão delicado, fica muito gostoso com um tinto da região do Douro, em Portugal.

  • Imagem: Thinkstock
    Thinkstock
    Imagem: Thinkstock

    Lombo de porco

    Aqui, vale também uma combinação das mais clássicas: malbec argentino com assado. Não tem erro.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Salpicão

    Frango defumado, abacaxi em calda, maionese. E mais uma porção de coisinhas. A solução para fazer esse monte de sabores se misturar de maneira perfeita é mergulhar fundo na acidez de um riesling alemão. Fresco, deixa a salada ainda mais deliciosa.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Rabanada

    A doçura marcante dessa receita fica bem mais evidente com uma taça de Porto Tawny (que recebe mais ar e, portanto envelhece mais depressa do que o tradicional). É a chamada harmonização por combinação (tem também a por oposição). Aqui, é doce com doce. Simples assim.

  • Imagem: Getty Images
    Getty Images
    Imagem: Getty Images

    Panetone

    Frutas cristalizadas no pão, que nem sempre é muito leve, ganham charme especial na companhia de espumantes doces. Pode ser um champanhe demi-sec, um nacional do mesmo tipo ou um moscatel.

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Receitas

Topo